Trajetória universitária, profissional & a Alemanha

DEPOIMENTO de 5ª vez na Alemanha – Motivo: PROCURANDO EMPREGO

E ainda… como começou a história com a Alemanha? 

IMG_0141Meu nome é Raquel, nasci em 1988 e sou farmacêutica. Comecei a minha história com a Alemanha em 2009 fazendo um estágio pelo programa IAESTE. Esse programa me proporcionou uma estadia como pesquisadora estudante na Universidade de Konstanz por três meses. Depois do estágio iniciei meu mochilão pela Europa (verificar situação legal no Escritório de Imigração Alemão – nunca fique ilegal). Durante meu mochilão sozinha pela Europa conheci várias pessoas de diversos países pelo Couchsurfing, peguei carona pelo Mitfahrgelegenheit, participei de passeios turísticos pelo Sandesman e viajei com o ticket EuRail Global Pass. Adorei a minha experiência, apesar de sentir falta da minha família, amigos e da cultura brasileira.

Voltei para o Brasil e me senti incompleta. Já era. Sabia que daí em diante minha vida seria entre Brasil e Alemanha. Hoje compreendo que preciso da ordem e do progresso alemães, mas também da hospitalidade, do aconchego e do carinho brasileiro. São duas culturas que se completam e me completam.

Em 2011 voltei para a Alemanha por um mês para fazer um curso intensivo de alemão de férias. Aprende-se mais rápido na Alemanha, mas a turma é formada por alunos de todo o mundo e a metodologia é bem regrada, diferente das aulas com risadas no Brasil. O curso foi caro, mas valeu a pena, pois com o meu certificado consegui em 2012 uma vaga como estudante internacional na Universidade de Freiburg por um semestre e, após receber a carta de aceite e mandar para o CNPq, eu conseguiu uma bolsa pelo programa Ciência sem Fronteiras. Foi perfeita essa combinação e me senti muito privilegiada, sortuda, feliz! Deu certo!

Em Freiburg conheci bem de perto os alemães, a cultura alemã. Algumas coisas eu apreciava, outras não. As aulas eram somente em alemão e os grupinhos alemães são bem fechados no início e só se abrem com o tempo, quando enfim se acostumam com a presença do “novo colega”. As aulas são em auditórios, com microfones, os professores e os alunos são bem pontuais, os temas difíceis e aulas práticas e seminários bastante exigentes! Passei aperto e muitas vezes me sentia desamparada e sozinha. As coisas aqui são bem mais individualizadas e eles prezam muito a individualidade e a privacidade o tempo inteiro.

Em 2013 consegui meu estágio final em uma indústria alemã na Alemanha, a BASF (mandei meu Curriculum vitae em inglês – ou alemão, não lembro – pelo website deles, fui chamada para uma entrevista por telefone e passei na vaga). No final de 2013, enfim, me formei (após várias greves e intercâmbios) e com o objetivo de começar a minha carreira na Alemanha, em 2014 tirei o visto para procurar emprego (Visum zur Arbeitsplatzsuche) e voltei para tentar arrumar meu primeiro emprego na Alemanha. Não recomendo a ninguém fazer isso. Venha depois de 3 anos de experiência (não venha procurar o primeiro emprego) e com alemão afiado, pois o mercado é muito exigente. De preferência faça uma pesquisa quanto a sua área e procure melhorar o inglês e o espanhol.

Já me inscrevi para diversas vagas de emprego (+-100), fiz várias entrevisIMG_0145tas por telefone e pessoalmente. Mas… nada! Esse tempo de procura de emprego representa para mim um tempo de autoconhecimento, dúvidas e esclarecimento, decepção e desilusão frente às minhas expectativas de trabalho e adaptação ao ambiente. Não me arrependo de ter vindo, mas não está sendo fácil lidar com o desemprego e a desmotivação. Depois de 6 meses com o visto para procurar emprego, não consegui um trabalho como farmacêutica 8h/dia (apenas estágios, part-time job e mini jobs que não foram aceitos pelo Departamento de Imigração), então eu e meu noivo nos casamos. No total demorou 14 meses para que eu finalmente chegasse no primeiro de trabalho, numa empresa que faz serviço terceirizado de marketing para indústrias (após o casamento eu trabalhei por meio de mini-job por 3 meses nessa empresa e depois eles me contrataram).

Para saber mais sobre cursos de aperfeiçoamento, empregos na área de farmácia, direito do farmacêutico, vagas de estágio e de emprego na área de farmácia, visite o site da Apothekerkammer (Ordem dos Farmacêuticos) e do Regierungspräsidium (Conselho Regional) do seu estado. E para mais informações sobre viver na Alemanha: visto para estágio, visto para procurar emprego, reconhecimento de diploma, entrevistas de emprego, dinâmica em grupo, entrevistas por telefone, documentos para casamento, sites para procurar emprego, etc. entre nas minhas páginas sociais voltadas para intercâmbio, viagem e tema viver na Alemanha. Espero que ajude!

Blog / YouTube 1. dia de trabalho/ Facebook / Twitter / Instagram / We heart it

Abraços,

Back (Raquel)

Sobre Raquel Carvalho (Backpackingalone)

I am a brazilian pharmacist, blogger, vlogger, traveller now living in Germany.
Esse post foi publicado em ALEMANHA, Curso de Farmácia, IAESTE intercâmbio. Bookmark o link permanente.

15 respostas para Trajetória universitária, profissional & a Alemanha

  1. barb disse:

    finalmente um post que mostra a vida como ela é na Alemanha, tem tanto blog de brasileira na Alemanha, mas eles só falam de viagens, só mostram os lugares bonitos, nao mostra que ao vc se mudar para um outro país vc tem que recomecar, enchi o saco desse mundo de blogs de “Alice no país das maravilhas”, tem muitas brasileiras casadas mas que estao vivendo a margem da sociedade alema, nao estao trabalhando, no maximo estudando, mas e depois que o estudo passa, seja um curso de alemao, um curso de integracao, mestrado, enfim e depois conseguem ter uma vida de verdade, pagar suas proprias contas, ter um emprego, pequeno que seja, mas algo que nao a deixe ser tao dependente do companheiro, um dia a vida passa e a aposentadoria chega, era isso que qeria ver nos blogs, mas sei tb que tem muitas tentando como vc, eu tb estou tentanto, me readaptando, recomecando, real (legal, eh nao tao legal) saber da sua dificuldade, tb to no mesmo barco, vc nao é a unica, desejo a vc muita sorte, sei que como vc falou ta dificil, mas nao desista, mesmo ja tendo mandado um monte de CV, sua hora vai chegar, nem que vc tenha que comecar algo totalmente novo e diferente, abs

    Curtir

    • Hahaha!!! Obrigada Bárbara! Pois é… Isso aqui virou um reality show “procurando emprego”. Sorte pra gente nessa busca, né?! Sabemos que não tá nada fácil!
      Valeu e tudo de bom! Os caminhos vão se abrindo… Tudo é um aprendizado. Eu não agüento mais usar meu “cérebro” pra arrumar casa, mas pelo menos melhorei minha criatividade para fazer novos pratos na cozinha.
      Abs

      Curtir

  2. Livia disse:

    Oi Raquel… estamos no mesmo barco! Comecei a minha trajetória na Alemanha com um intercâmbio em 2009 (na linda e maravilhosa Mannheim ♥) e há alguns meses estou na dura busca por emprego. Já mandei mais de 100 candidaturas e mesmo com muitos momentos de desânimo e vontade de jogar tudo pro alto (ou simplesmente de ficar em casa comendo brigadeiro rs), acredito que vamos achar nosso espaço aqui… Boa sorte e não desista 😉 LG Livia

    Curtir

    • Oi Lívia mão de vaca! Hahaha gostei do seu blog! Tá osso, mas fazer o que? Já estamos aqui mesmo, então vamos procurar e achar esse bendito do primeiro emprego! Assim que achar eu posto aqui e vc me avisa tbm sobre a sua saga! Vi que vc tem um arquivo “desemprego” no seu blog. Realmente… É assim… Vc já tem fanpage no Facebook? 🙂
      Um bjao,
      LG
      Back

      Curtir

      • Livia disse:

        Oi Raquel!
        Pois é… muito osso! Mas a persistência vale a pena e hoje posso dizer: “a boa filha a casa torna”. Consegui um emprego em Mannheim e me mudo daqui a uma semana… quem sabe não tomamos um café 😉
        Não fiz página no Face (só tenho meu perfil particular mesmo) e não linkei o Blog pq no Face sempre tem mais pessoas curiosas do q amigos rs.
        Beijos e insiste aí que uma hora vai!
        Livia

        Curtir

  3. Ai, que tudo Lívia! Parabéns!!! Vamos combinar sim! Me manda msg pela minha fanpage: https://www.facebook.com/backpackingalone
    Beijão,
    Quel

    Curtir

  4. Pingback: No dia-a-dia – sobre o meu casamento bicultural | ;Dicas de Viagem e Intercâmbio Backpackingalone – versão Alemanha

  5. Richard disse:

    Oi Raquel,

    Acabei de encontrar seu blog, e me formei esse ano na UFOP também, em Engenharia de Produção e estou naquela busca incansável pelo primeiro emprego aqui e pensando em ir pra aí. Alguns amigos alemães me disseram que eu posso conseguir algo, principalmente por haver demanda pela minha graduação na Alemanha. Estou querendo arrumar todos os documentos e ir, mas mesmo falando um pouco de alemão, estou achando arriscado por nunca ter trabalhado aqui. Boa sorte aí com tudo! 😀

    Curtido por 1 pessoa

    • Acho muuuuito arriscado Richard! Sem falar alemão ainda por cima é contar muito com a sorte! A Alemanha quer engenheiros experientes, ainda mais se forem estrangeiros. O mercado aqui é altamente qualificado. Venha depois de pelo menos 2 anos de experiência no Brasil e pelo menos alemão B1, pq aqui ninguém quer dar o primeiro emprego pra quem acabou de sair da uni (e ainda não fala alemão). Veja a minha playlist: https://www.youtube.com/playlist?list=PL_k4uoNZ_S43Ydw7t_w6JZgj51IRI5h0n . Daí vc decide. Não aconselho vir agora, pq o visto pra procurar emprego é de 6 meses, parece muito, mas 6 meses passam rápido e se não conseguir o emprego te mandam de volta. Tenta um estágio ou trabalho na Alemanha, mas ainda estando no Brasil pra vc testar. Bjao e boa sorte! 🙂

      Curtir

    • Ah! Entra no grupo Brasileiros Diplomados no Brasil que vivem na Alemanha. Lá tem alguns engenheiros que podem te esclarecer melhor se vale a pena ou não. Obrigada pelo boa sorte! Assinei contrato na semana passada depois de 10 meses desempregada (6 meses com visto + casamento de última hora em setembro).

      Curtir

      • Richard disse:

        Estou assistindo todos os seus vídeos desde ontem! hahaha
        E realmente, vou me planejar melhor pra tentar fazer isso daqui uns 2 anos!
        Vou fazer tudo que você falou sim, obrigado pelas dicas!
        E parabéns pelo contrato! Que dê tudo muito certo pra você aí! 🙂

        Curtido por 1 pessoa

  6. Cássio disse:

    Olá Raquel, tudo bem com vc?

    Descobri a pouco seu blog, procurando informações sobre o estágio pelo programa IAESTE. Vc pode me falar mais sobre como vc conseguiu o estágio, o processo, como conseguiu os pontos e se realmente vale a pena tentar? Eu já fiz intercâmbio na Europa, morei um ano em Portugal, e estou no sétimo período de de Eng. Mecatrônica pelo CEFET-MG, e como vc bem deve saber, estou querendo muito voltar. Parabéns pelas conquistas e obrigado! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    • Muito obrigada pelos elogios e pelo comentário aqui Cássio! No IAESTE nem tudo são flores, como já escrevi aqui num post, assim como tbm não é tudo legal em todos os intercâmbios, mas mesmo assim eu recomendo muito! Você vive uma nova aventura, faz contatos, aprende outra língua ou aperfeiçoa uma língua que já sabe, vc aprende sobre novas tecnologias em um lab top! Aqui está o vídeo que explico tudo sobre o meu processo IAESTE 2009: http://youtu.be/M_vdcVTsEko bjao

      Curtir

  7. Pingback: Como você responderia? – Trabalho na Alemanha | Backpackingalone ;Dicas de Intercâmbio – Versão Viver na Alemanha

  8. Pingback: Tipos de visto para a Alemanha | Backpackingalone ;Dicas de Intercâmbio – Versão Viver na Alemanha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s