A experiência de estagiar na Alemanha foi maravilhosa! Aprendi muito no laboratório em que trabalhei, na área de biologia molecular, além de ter aproveitado muuuuuuuito o tempo na Europa para passear e conhecer novas culturas e pessoas. Fiz vários amigos, com os quais até hoje tenho contato, aprendi muito sobre a cultura deles e de cada país que visitei, principalmente sobre a cultura alemã! Sei que somos todos diferentes, mas precisamos de cada um! Aprendi que o mundo não pode ser “só brasileiro” ou “só alemão”, nossas idéias, nossas atitudes e jeito de ser contribuem para que esse mundo seja tão rico e dinâmico, precisamos desse equilíbrio. Aprendi a respeitar ainda mais e entender culturas muito diferentes da minha.

Viajei por 13 países após terminar meu estágio em Konstanz, pequena e belíssima cidade ao sul da Alemanha, quase na fronteira com a Suíça. Enquanto estive no laboratório, procurei aprender ao máximo o que estava ao meu alcance. Todos no laboratório me apoiaram e me ensinaram muita coisa! A Alemanha é um país que realmente investe na área de educação e pesquisa. Sei que no Brasil também há muita gente boa nessa área, mas também é realidade que não é fácil assim conseguir verbas para financiar várias pesquisas importantes. Por isso, vejo que isso ajudou muito na minha carreira e, não menos, serviu como experiência de vida! Tive que me virar no alemão básico que sabia, organizar minhas tarefas, fazer minha comida para levar marmita no dia seguinte (já tinha cansado de comer pão com salsinha e batata frita!), tive que dividir um apartamento estudantil com estudantes vindos de diversos países, saber lidar com os imprevistos, com as falhas humanas, com o frio, com a neve!

Sinto-me realizada olhando para trás e lembrando de tudo que fiz! Cumpri o que sempre desejei desde os 14 anos: fazer um intercâmbio e um mochilão! E ainda foram os dois juntos de uma vez! Além disso, agora tenho uma ótima referência em meu currículo, experiência digna de se passar para avós e netos e maturidade suficiente para enfrentar a volta aos estudos, mestrado e o mercado de trabalho.

Houve várias festas e momentos de integração entre os trainees provindos de vários lugares do mundo e os voluntários IAESTE durante meu período de estágio. Junto aos voluntários IAESTE da Alemanha fui à Bremen, cidade ao norte da Alemanha, à Heidelberg, cidade histórica próxima à Stuttgart, aos alpes austríacos e alemães, na montanha mais alta da Alemanha, Zugspitze. Além disso, nos encontramos várias vezes para fazermos o “International cooking”, cujo encontro permitia apreciar comidas de vários lugares do mundo preparadas por cada trainne, cada um preparava comidas típicas de seu país.

No final, eu já estava morrendo de saudades da minha família, dos meus amigos, da minha casa, do meu BRASIIIIL!!! A gente volta mudado, é uma experiência enorme e muito gratificante!

Este depoimento está no site da ABIPE/ IAESTE.

Este depoimento foi citado nos sites da DAAD e da CI.

Anúncios